seta

223 postagens no blog

É verdade que o chocolate causa acne?

21/09/2017 18:07

Quem não conhece o chocolate? Este alimento se tornou o doce favorito do mundo e é muito difícil resistir a esta guloseima. No entanto, existem algumas pessoas que dizem que o chocolate pode causar danos a saúde, além de problemas dentários ou dor de estômago e a temida acne. Mas será que o chocolate causa acne ou é apenas um mito?  É isso que desvendaremos abaixo.
 

As substâncias presentes no chocolate

As principais substâncias do chocolate são os açúcares, gorduras e carboidratos. Isso faz com que o consumidor de chocolate obtenha instantaneamente um pouco de energia ao comer. Depois, há manteiga de cacau que faz com que o degustador da guloseima sinta o sabor real do cacau na boca. Essas substâncias possuem característica positivas no paladar. No entanto, algo que não sabemos é que o chocolate também contém feniletilamina e teobromina. Essas 2 substâncias fazem com que o comedor de chocolate se sinta "feliz" e "viciado" na guloseima.
 

Mas afinal, o chocolate causa acne?


Espinhas no rosto

Apesar do consumo deste doce oferecer diversos benefícios, comer muito chocolate pode não ser bom para a nossa saúde. Como você sabe, a ingestão excessiva de açúcar e gordura pode danificar os dentes, estômago e desordenar nossa produção de sebo. Se a nossa produção de sebo não for controlada, isso causará inflamação ao corpo e resultará em acne. No entanto, o chocolate causa acne ou é outro fator? Bem, a principal causa da produção de sebo incontrolável é uma alta ingestão de açúcar e gordura. Se você saborear chocolates que não contenham açúcar ou gordura, então não causará acne. 

Comendo muito chocolate

No entanto, não há nenhuma afirmação ou pesquisa que comprove que o chocolate cause acne, mas a causa da inflamação é o açúcar e substâncias contidas na guloseima. Conseqüentemente, é apenas uma crença teórica dizer que o chocolate pode causar acne sem qualquer prova válida e confiável.  

Uma dica, na hora de escolher seu chocolate, dê preferências ao meio amargo de 70% de cacau ou mais, e sempre consulte um dermatologista para orientar o melhor tratamento.

 

seta

Como funcionam os prédios anti-furacão da Flórida?

21/09/2017 17:39

A Flórida é uma região dos Estados Unidos que frequentemente registra ocorrências de furacões. A mais recente aconteceu em setembro de 2017, quando o Furacão Irma atingiu o Estado.

Os meses de junho, julho, agosto, setembro, outubro e novembro são os mais comuns para a ocorrência de furacões na Flórida. Por isso mesmo, as grandes cidades da região estão preparadas para esse tipo de fenômeno, contando inclusive com construções capazes de resistir a desastres naturais de grandes proporções.

Os chamados prédios anti-furacão da Flórida são construídos com uma estrutura especial. Como muitos sabem, nos Estados Unidos, a maior parte das casas não é feita de alvenaria, como ocorre no Brasil. A matéria-prima principal das construções é a madeira, pouco resistente em casos de furacão. Contudo, nos prédios e abrigos contra desastres naturais é usada uma forma de construção diferenciada.

Esses prédios são constituídos por uma estrutura capaz de suportar a força dos ventos. Existem construções em que o corpo do edifício é totalmente feito com um exoesqueleto de concreto. A engenharia utilizada nessas obras é de alto padrão e está na vanguarda em relação à segurança, sendo praticamente impossível que sofram qualquer tipo de dano durante tempestades e furacões.

A resistência das construções está justamente no fato de elas serem feitas com estrutura em concreto.

Algumas construtoras e centros de pesquisa e tecnologia dos Estados Unidos estão trabalhando para fomentar o uso de novos materiais de construção entre os americanos, a fim de que eles abandonem a tradicional madeira (Wood Frame) e invistam em materiais construtivos mais resistentes, como estruturas metálicas, blocos de concreto e telhados com várias encostas.

Outro ponto que vem sendo considerado na construção dos novos prédios da Flórida é a necessidade de fortalecer a fundação da obra e instalar sistemas de drenagem, para evitar inundações.

As construções mais novas da Flórida já estão apostando em tecnologias contra furacões e outros fenômenos. O objetivo é desenvolver prédios capazes de suportar ventos de mais de 200 km/h.

Prédio na Florida

Algumas obras já realizadas nos Estados Unidos estão usando revestimento em EPS (poliestireno expandido), material que garante melhor desempenho térmico e acústico, e preenchimento de concreto. Esse modelo vale tanto para casas quanto para prédios de até cinco andares.

Nos abrigos especialmente preparados para furacões na Flórida, existe uma infraestrutura especial de segurança, preparada para receber moradores que perderam suas casas ou que foram evacuados. A lista de todos os abrigos por região pode ser encontrada no site dos condados, consulados e estados. Na Flórida, por exemplo, é possível acessar uma dessas listas na página Orange County Shelters.

seta

“Tinha que rezar se visse um garoto bonito”

21/09/2017 10:44

Dez Pai Nossos e dez Ave Marias. E 75 miligramas dos antidepressivos Ludiomil e outros 20 de Dogmatil diariamente. Àngel Llorent se submeteu durante 10 anos a este tratamentopara deixar de ser gay. “Tinha que rezar se visse um garoto bonito na rua”, explicou ao EL PAÍS em 2010 (data da publicação de esta reportagem na edição espanhola do jornal) este catalão que queria ser heterossexual porque acreditava que estava doente. Deixou seu trabalho e seus amigos. Mudou de vida. Por um tempo foi um ex-gay. Não funcionou. Tentou suicidar-se.

cura gay, que lhe aplicaram há uma década, também consistia em fazer sexo com mulheres e não ver pornografia. Àngel a abandonou e agora é o que se chama de um ex-ex-gay. Trabalha contra as terapias corretivas que curam a homossexualidade. “Busquei um psiquiatra particular da comunidade evangélica de Barcelona porque eu não me aceitava. Nas consultas tentava reafirmar minha masculinidade, mas ao não obter efeito começou a me medicar para abaixar minha libido. Era uma castração química”, conta Àngel, membro da Associação Cristã de Gays e Lésbicas da Catalunha.

A denúncia de que a Policlínica Tibidabo, em Barcelona, oferecia comprimidos e tratamentos a seus pacientes para deixarem de ser gays reabriu a polêmica sobre uma opção descartada em 1973, quando os cientistas rejeitaram considerar essa inclinação como transtorno psicológico. “Evidentemente, não se pode curar a homossexualidade. Essas terapias representam malapraxis e estão desautorizadas. Causam transtornos depressivos, condutas autodestrutivas, ansiedade, e podem conduzir ao suicídio”, afirma a psicóloga Silvia Morell.

Apesar de a Organização Mundial da Saúde ter excluído a homossexualidade das doenças em 1990, o movimento ex-gay em todo o mundo oferece a cura por considerar que é algo tratável, que torna “infeliz” quem a sofre.

Em 2009, a Associação Americana de Psicologiacondenou essas terapias que cobram até 80 euros (300 reais) por sessão, por serem ineficazes. Não existe nenhuma evidência científica que demonstre que seja possível mudar a orientação sexual. O Ministério da Saúde espanhol não tem registros oficiais sobre as clínicas que praticam o método. Além disso, muitas são aplicadas em centros religiosos privados.

Como a Tibidabo, que foi investigada pelo Conselho de Saúde catalão, existeram outras clínicas que oferecem o caminho para a heterossexualidade na Espanha, segundo Miguel González, presidente do Coletivo de Lésbicas, Gays, Transsexuais e Bissexuais de Madri em 2010: “Sabemos de muitos casos de pessoas que se submetem a esses tratamentos e depois se arrependem, mas não denunciam. É um erro tratar algo que não é uma doença psiquiátrica, deveria ser um delito. Foi demonstrado que nada disso funciona”.

Marc Orozko é um caso de terapia sem religião. Um tratamento similar ao do cachorro de Pavlov, que busca associar estímulos positivos ao heterossexual e negativos ao gay. Durante um ano ele se tratou na clínica Dexeus, em Barcelona. Tinha 20 anos e seu terapeuta lhe recomendava masturbar-se pensando em mulheres. Também o obrigava a colocar uma borracha em seu pulso e puxá-la toda vez que pensasse em um homem, para assim relacionar a figura masculina com a dor. Isto é conhecido como terapia de aversão comportamental. “Tinha que castigar-me ou premiar-me”, recorda Marc, que recebeu tratamento durante um ano no final dos anos 90 e afirma que por causa disso teve efeitos secundários, como obsessões, inseguranças e conflitos para relacionar-se.

Na Espanha não há grupos de ex-gays estabelecidos oficialmente. Nos EUA existia o Exodus International, baseado na religião e na abstinência para “diminuir as tentações homossexuais, corrigindo estilos distorcidos de relacionar-se com o sexo oposto”, segundo seu site. A organização defende que “a reorientação da atração pelo mesmo sexo não é necessária, mas é possível”. Eles fecharam em 2013.

Há unidades semelhantes em muitos países. Malena Mattos aderiu ao programa, deixou de ser lésbica e agora oferece “terapias corretivas” no Peru. Define seu trabalho como “teoterapias”, baseadas na Bíblia. “A homossexualidade não é ruim. Há pessoas que vivem bem, embora sempre terão um problema. Existe uma alternativa para quem não é feliz assim. A homossexualidade não é uma opção de acordo com as Escrituras. Deus fez homens e mulheres, não fez um terceiro sexo”.

José L. se submeteu há três anos a um tratamento laico em uma clínica de Madri. Comparecia na terapia uma vez por semana e ia para retiros com outros ex-gays. “Foi terrível. Lavaram o meu cérebro. Eu acreditava que estava doente e sentia culpa”, conta José, que pede para se manter no anonimato. Este advogado de 35 anos seguiu as teorias de Aquilino Polaino, o especialista da Universidade Complutense que em 2005 foi convidado pelo PP para o Senado para explicar os danos que os casais gays podem causar aos filhos. Polaino, a quem este jornal tentou contatar, mas se encontra em viagem pelo México, defende as “terapias corretivas” e considera que a homossexualidade surge entre filhos de famílias disfuncionais. A psicóloga Patricia M. Peroni, que não concordou em dar uma entrevista, e Jokin De Irala, da Universidade de Navarra, escreveram livros e dão conferências nas quais garantem que a homossexualidade pode ser revertida.

As três pessoas citadas que estiveram em terapia levaram anos para ver que não podiam deixar de ser gays. Àngel Llorent conclui: "Com o tempo tudo ia se agravando. Muita gente acaba suicidando-se. Me diziam que estava doente e que era uma disfunção psicológica que podia ser reparada. Agora vejo que não é verdade e que não faço nada de mau”.

seta

Dr. Dráuzio tem um recado para quem acha homossexualidade doença

20/09/2017 12:03

Dráuzio Varella, um dos médicos mais importantes do Brasil, em vídeo, quer saber: “Que diferença faz para você, para a sua vida pessoal, se o seu vizinho dorme com outro homem, se a sua vizinha é apaixonada pela colega de escritório? Que diferença faz para você? Se faz diferença, procura um psiquiatra. Você não tá legal.”

A gravação, feita em 2014 no calor das discussões sobre a legalidade do casamento gay, voltou a circular com força nas redes sociais por causa da liminar de um juiz federal que abre precedente para que psicólogos ofereçam a absurda terapia de reversão sexual, conhecida como “cura gay”, um tratamento proibido desde 1999 pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP).

No vídeo, o médico deixa bem claro: homossexualidade NÃO É DOENÇA. Ou seja, não precisa ser tratada. “A sexualidade é. Ela se impõe. A gente não escolhe. Aqueles que acham que a homossexualidade é um desvio, uma aberração da natureza, dizem isso por ignorância. Porque se fosse assim ela seria exclusiva dos seres humanos, mas a homossexualidade tem sido documentada em todos os animais, praticamente. Em todos os vertebrados”, diz ele, citando primatas, pássaros e répteis”, explica.

De acordo com ele, a homossexualidade é um tipo de comportamento sexual tão normal quanto a heterossexualidade. “Você pode controlar o comportamento. Você vive numa sociedade heterossexual, então você se comporta daquele jeito, como se comportaria numa sociedade homossexual. Mas você não controla o desejo. O desejo humano é incontrolável. Comportamento pode ser, mas o desejo não há como controlar”, disse.

Assista ao vídeo: https://www.youtube.com/watch?time_continue=6&v=rqi-UTb9f9Y

 

 

seta

Conheça os principais nutrientes deste superalimento

19/09/2017 10:54

Cada vez mais estudos e pesquisas reafirmam que o ovo é uma rica fonte de pura saúde e que seu rótulo de “vilão” foi uma injustiça propagada durante muitas décadas. Acessível, barato e saboroso, o alimento quebrou vários mitos nos últimos anos, como o fantasma de que o seu consumo aumenta o colesterol. Ao contrário disso, muitos benefícios para a saúde têm sido comprovados. Para comemorar o Dia Mundial do Ovo, que em 2017 é celebrado no dia 13 de outubro, o Instituto Ovos Brasil compartilha uma lista dos mais importantes nutrientes do alimento, elencados pela nutricionista Lúcia Endriukaite.

> Proteína

Carro-chefe de uma verdadeira coleção de nutrientes deste alimento, a proteína presente nos ovos é chamada de completa. Isso significa que ela é considerada de alto valor, e tem boa absorção pelo organismo. “Além de ser uma fonte de energia fundamental para o corpo humano, a proteína possui essencial papel na fundação dos tecidos, sendo componente estrutural de todas as células – em especial os músculos”, afirma Lúcia. Não à toa a proteína dos ovos é usada como base para muitos complexos vitamínicos e suplementos para atletas. Um único ovo possui cerca de 6 g de proteína, aproximadamente 10% da necessidade diária.

> Vitaminas

Os ovos são ricos em vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K) e do complexo B. Este conjunto de substâncias é essencial para a visão, promove o crescimento, dá energia e disposição para as atividades físicas e intelectuais e, dentre outros benefícios, combate radicais livres. As vitaminas presentes no ovo também aumentam a resistência contra infecções, previnem a ocorrência de doenças respiratórias.

> Colina

A colina também é uma vitamina, mas cabe ressaltá-la por sua presença em abundância nos ovos. Integrante dos fosfolipídios, estruturas essenciais na composição de membranas celulares e da fosfatidilcolina e componente destas membranas, esta substância atua na sinalização celular, no metabolismo e no transporte de lipoproteínas. “Estudos de longo prazo demonstram que dietas ricas em colina geram satisfatórios resultados para funções do cérebro humano e foram identificadas melhoras significativas em testes de memória e baixos índices de alterações cerebrais associadas à demência”, diz a nutricionista do Instituto Ovos Brasil.

> Ferro

Grãos como o feijão e lentilha, carnes vermelhas e a beterraba são famosas fontes de ferro na alimentação dos brasileiros. Nem todos ainda sabem que a gema dos ovos também é uma rica fornecedora deste mineral para o organismo humano. Linhas gerais, ela possui cerca de 1 mg de ferro – o recomendável para homens adultos é a ingestão de 8 mg por dia, bem menor que as necessidades das mulheres adultas, que são de 18 mg diárias. Nas crianças, o ferro do ovo surge como um aliado ainda mais poderoso, e se torna mais um alimento a ajudar a reduzir o surgimento de anemias.

> Selênio

Ingerido em quantidades adequadas, este mineral também presente nos ovos auxilia no fortalecimento do sistema imunológico, no controle glicêmico e na regulação da tireoide. “O selênio também é um elemento que desempenha importantes funções biológicas, como a formação de hormônios, a síntese do DNA e afeta de maneira muito positiva a fertilidade e a capacidade reprodutiva”, afirma Lúcia. Em adultos, a recomendação da ingestão desta substância varia entre 45 a 55 microgramas por dia – e um ovo possui aproximadamente 15 mcg, o que representa 33% das necessidades do corpo humano.

> Luteína e Zeaxantina

Apesar de serem duas substâncias diferentes, estes carotenoides atuam juntos em prol de uma boa saúde dos olhos ao longo da vida. “Ambos possuem funções antioxidantes, que também têm a capacidade de combater o envelhecimento das células, reduzindo riscos relacionados ao surgimento de doenças crônicas”, explica a nutricionista. Muitos optam por suplementações em cápsulas para suprir a demanda diária destes nutrientes, no entanto, uma gema já possui algo em torno de 0,2 mg de cada uma destas substâncias – isso torna o ovo um alimento rico em luteína e zeaxantina.

Cabe ressaltar que estas são somente algumas das propriedades positivas dos ovos, hoje reconhecidos como um verdadeiro superalimento. Tanto para crianças, adultos, atletas e idosos, seus nutrientes são essenciais e perfeitos para uma vida saudável.

Semana do Ovo 2017

A data celebra o Dia Mundial do Ovo, uma homenagem estabelecida há 20 anos pela International Egg Comission e lembrada toda segunda sexta-feira do mês de outubro. Em 2017 o IOB realizará um curso para nutricionistas e manipuladores de alimentos, uma iniciativa inédita durante a Semana, novas campanhas de marketing, que envolvem vídeos e a renovação de todo o material de divulgação distribuído pelo Brasil e grandes ações de imprensa que visam a levar informações de qualidade para toda a população neste período. Este ano, a data marca também o aniversário de 10 anos de fundação do Instituto Ovos Brasil.

Sobre o IOB

O Instituto Ovos Brasil é uma entidade sem fins lucrativos criada em 2007 com objetivo de esclarecer a população sobre as propriedades nutricionais do ovo, os benefícios que este alimento proporciona à saúde, além de desfazer mitos sobre seu consumo. O IOB tem atuação em todo o território nacional e hoje é referência em informação sobre ovos no Brasil. O site da instituição (www.ovosbrasil.com.br) reúne campanhas, dados, pesquisas e artigos de credibilidade para o público em geral e profissionais das mais diversas áreas.

seta

Primeira Edição © 2011