seta

553 postagens no blog

Acidentes de trabalho no home office - de quem é a culpa?

21/01/2022 12:58

 

Se teve um ponto que ganhou destaque no universo trabalhista durante a crise do Coronavírus, com certeza esse é o home office. Contudo, fato que poucos estão se preocupando e que pode ocorrer mesmo com os colaboradores estando em casa em caso de acidentes de trabalho.
São muitas as dúvidas relacionadas a esse tema, exemplo é como ficam os casos de doenças ou acidentes de trabalho? Quem é responsável por essa situação, o trabalhador ou a empresa? E para empresa, como se dá o controle? Saber se o funcionário está trabalhando ou não?
A gerente de recursos humanos da Confirp Consultoria Contábil, Cristine Yara Guimarães, explica que esse modelo de trabalho ainda é recente. O home office começou a surgir no Brasil, ainda de forma tímida, por volta do ano de 2010 e a partir de então a cada ano temos verificado um crescente número de empresas que têm autorizado tal modalidade de trabalho. A partir de novembro de 2017, com a denominada "reforma trabalhista" o legislador inseriu esta modalidade de trabalho na CLT, o chamado "teletrabalho", passando a tratar do tema de modo mais específico.
"Sem dúvida alguma, além da necessidade que passamos, ao alocar um colaborador fora do ambiente de trabalho da empresa, esta tem uma redução de custos com espaço, insumos, consumo de energia elétrica, água, dentre outras, o profissional, por sua vez, não se vê obrigado a gastar tempo com deslocamentos, transportes, etc., cria-se uma nova mentalidade", avalia Cristine Yara.
Mas, como diz o ditado popular: ‘nem tudo são flores’. Ao implementar esse sistema de trabalho as empresas devem se blindar também, pois ainda continuarão a ter responsabilidade diante a estrutura e a saúde e bem-estar dos trabalhadores. Por isso é importante se proteger juridicamente.
Outro ponto previsto na lei é que o empregador deverá instruir os empregados, de maneira expressa e ostensiva, quanto às precauções a tomar a fim de evitar doenças e acidentes de trabalho.
"Resumindo, ao contratar um profissional para prestação de serviços em tal modalidade (teletrabalho), o empregador deve elaborar um contrato individual de trabalho, explicitando ao máximo as condições e termos do mesmo", complementa a especialista da Confirp.
 

De quem é a responsabilidade?
A opinião é compartilhada por Tatiana Gonçalves, diretora da Moema Medicina do Trabalho , ela explica que muito se engana quem pensa que no home office não existem mais regras de medicina e segurança do trabalho. Elas não só existem, como são de responsabilidade do contratante.
Isso pelo fato de que o contrato de trabalho deverá indicar o responsável pela aquisição, manutenção ou fornecimento dos equipamentos tecnológicos e da infraestrutura necessária e adequada à prestação do trabalho remoto e como será realizado o reembolso de despesas arcadas pelo empregado. Neste contrato será dito quem será o responsável pela compra do mobiliário, equipamentos e suportes ergonômicos.
"A norma legal define que o empregador deve instruir o trabalhador, de maneira expressa e ostensiva, quanto às precauções contra doenças e acidentes de trabalho, e fornecer um termo de responsabilidade a ser assinado pelo empregado, comprometendo-se em seguir as instruções recebidas da empresa", complementa.
Mas acidentes acontecem e nesse caso começam dúvidas de quem é a responsabilidade. Fato é que um acidente pode acontecer em qualquer lugar, não sendo o domicílio do empregado um local livre de possíveis acidentes, e muitas vezes os motivos não se correlacionam com a prestação de serviços realizada.
"O trabalhador pode sofrer acidente em sua própria casa, promovendo um reparo hidráulico, cuidando do jardim ou numa atividade de lazer, ou, ainda, numa viagem recreativa, mas nesses casos não há implicação relacionada ao contrato de trabalho", explica Gonçalves.
Todavia, o empregado pode se lesionar em seu domicílio em decorrência da prestação de serviço, ao não se utilizar de equipamentos ergométricos necessários para postura correta nas horas em que passa à frente do notebook ou computador realizando as tarefas necessárias. Nesse caso a situação muda de figura e a responsabilidade pode ser da empresa.
O advogado trabalhista Mourival Boaventura Ribeiro explica que em acidentes que ocorrem durante o trabalho se tem atualmente a jurisprudência, entendendo esse como "acidente de trabalho". Ele cita decisão da Justiça do Trabalho, que reconheceu a queda em casa de uma funcionária em Belém do Pará como acidente de trabalho. Isso comprova a necessidade de preocupação das empresas em acidente ocorrido em home office, já que o mesmo pode ser equiparado ao acidente de trabalho.
"É fundamental que empresas portadoras de trabalhadores que atuem em casa determinem firmemente seu horário de expediente. Façam isso no sentido de terem mais controle sobre a jornada laboral dos seus trabalhadores, e assim, em caso de acidente terão menos dúvidas para determinar se foi acidente de trabalho ou não", alerta Tatiana.


Prevenção é o caminho
Para se blindar, a empresa deve atender as normas regulatórias do trabalho, mesmo em casos de home office, e treinar o trabalhador para ter certeza de que esse está em um ambiente seguro.
Um exemplo é a preocupação com a NR-17, que possui importantes previsões sobre ergonomia aos trabalhadores, com previsão de tamanho e altura das mesas, distância dos monitores, entre outras.
Nesse caso, segundo regras da Reforma Trabalhista, cabe ao empregador apenas instruir o empregado e sobretudo, de que eventuais custos decorrentes desta instrução serão regulamentados por contrato entre as partes, e não correr necessariamente pelo empregador, que comanda e controla o serviço.
"Lembremos ainda que, pela atual regulamentação, o empregador apenas orientará o empregado para tomar precauções a fim de se evitar o seu adoecimento no trabalho, do qual o empregado passará recibo por meio de termo de responsabilidade", finaliza Tatiana, reforçando que a prevenção, mais uma vez, é o melhor caminho nesses casos.
Mas como fazer isso? É um ponto complexo, mas além de ter ferramentas de acompanhamento do período de trabalho de quem está em home office, é preciso haver capacitação e constante treinamento. Outro ponto é que, mesmo estando distante, é preciso medir o índice de satisfação e dedicação dos trabalhadores. Lembrando que a tecnologia pode ser uma forte aliada.












 
seta

Perigo que crianças correm com crimes em jogos on-line

21/01/2022 10:15

Todos os pais sabem que hoje o mundo eletrônico é uma realidade nas vidas dos filhos, a disputa com o mundo dos jogos online se torna cada vez maior e os riscos existentes com essa mudança de realidade. Pesquisas recentes apontam que no EUA residências comuns possuem ao menos um console. Já no Brasil 48% dos lares possuem pelo menos um console, PC ou smartphone dedicado aos jogos.
Uma característica dessa nova relação em relação aos jogos online é a ferramenta mais usada para jogar são os smartphones, utilizado por 83% dos usuários, depois vem os consoles, com 48,5%. Em relação as crianças estudos apontam que 63% com idades entre 2 e 17 anos usam dispositivos móveis para jogar.

Embora os jogos on-line proporcionem uma interação social para os jovens e diversão, existe também um lado mais obscuro, nessas áreas as crianças e jovens estão expostos a perigos e riscos como bullying, roubo de identidade, fraude de cartões de crédito e até exploração sexual. Assim, as preocupações são inúmeras quando o assunto é jogos on-line.
A palavra de ordem em relação a esse tema é prevenção e o primeiro passo é desenvolver constantemente um diálogo com os filhos sobre segurança on-line , e isso o quanto antes, já na infância e no decorrer dos anos, conforme forem crescendo. O entendimento desses os riscos farão com que os filhos deem mais importância para a segurança, é muito mais provável que eles procurem você quando algo os preocupar.

Mesmo com essa conversa é preciso cuidado com perigos online, seguem alguns e precaução que os pais devem tomar:

  1. Cuidado com vírus e Malware -- como cavalo de Troia. Esses vírus existentes no mercado podem modificar um aplicativo legítimo, trocando por uma versão maliciosa no Google Play ou em outro mercado legítimo. Por isso é importante alertar a todos para que sejam tomados todos os cuidados antes de baixar um aplicativo de jogo, por exemplo. Eles podem parecer legítimos ou estar disfarçados de legítimos. Dependendo da idade do filho, fique responsável por aprovar todos os downloads nos dispositivos. Instale um verificador antimalware confiável para poder conferir regularmente todos os dispositivos de sua família. Os jogos on-line não são só diversão.
  2. Bullying virtual -- esta é uma realidade crescente no mundo online e que poucos pais percebem, e quando isso ocorre as crianças já estão muito abaladas, sofrendo até mesmo de depressão. No refúgio no mundo on-line ninguém sabe quem são as pessoas. Mas, mesmo assim nos jogos online, jogadores aproveitam essa mudança de identidade para ‘agredir’ outros jogadores, deliberadamente tornando o jogo menos interessante. Existem casos de criação de boatos sobre os jogadores com mensagens ofensivas, divulgação em canais de bate-papo com spams contendo comentários difamatórios sobre suas vítimas. É interessante uqe os filhos saibam como bloquear esses tipos de comentários e que sejam orientados a deixar grupos caso isso ocorra. É sempre bom anotar ou capturar a tela de qualquer conversa ofensiva e denunciá-la aos administradores do jogo.
  3. Falhas de privacidade, nos jogos on-line é simples que os criminosos virtuais manipulem as conversas e utilizem de descuidos para obter dados pessoais e até dados bancários. Uma orientação é que as crianças nunca criem nomes de usuário derivados de seus nomes verdadeiros ou que indiquem sua localização ou idade. Dependendo dos dados os hackers conseguem abrir contas no nome da criança ou ter acesso a contas existentes.
  4. Roubo de contas e senhas -- isso ocorre com muita facilidade nos dias atuais e pode levar aos hackers a passarem pelos filhos. Assim, oriente aos jovens que constantemente alterem as senhas dos acessos aos jogos e redes sociais, além de orientar que sempre essas não sejam simples. Também utilize todas as ferramentas de segurança que esses jogos disponibilizam, como é o caso de autenticação dupla ou tripla, por meio de SMS ou aplicativos do Google e outros.
  5. Exposição de imagem de forma indevida, esse é um dos maiores riscos que podem até mesmo resultar em exploração sexual, é muito grave, é fundamental a preocupação com a webcam, essas podem ser invadidas por hackers. Mantenha sempre um padrão de configuração da webcam, como “desligada”.
  6. Existem predadores on-line, que são jogadores mais velhos que usam videogames para atrair e envolver vítimas mais jovens. O resultado final pode ser mensagens impróprias, conversas pela webcam ou até encontros presenciais, que podem acabar em exploração sexual. Fique assim atento a rede de relacionamentos dos filhos, converse e explique sobre esses ricos para que comuniquem em caso de qualquer ato suspeito.
  7. Tem jogos que aparentemente são gratuitos, mas que podem gerar gastos descontrolados, com compra de vantagens e itens para o mundo virtual, muitos jogos on-line usam o modelo “freemium“; ou seja, eles disponibilizam um conteúdo gratuito para você, exigindo pagamento para acessar outras partes do jogo, por exemplo. Assim, nunca informe o número de cartão de crédito para jogos.
seta

Supervisionar ou treinar seu time?

19/01/2022 10:33

Supervisionar atividades e resultados da equipe é um dos maiores desafios para inúmeros líderes. São muitos os que não gostam de cobrar e supervisionar, tem medo de ser invasivos, incomodar ou perder o relacionamento com a equipe. Outros fazem isso de maneira exagerada. Micro gerenciam cada atividade, cada decisão e não dão a autonomia necessária para que o time exerça sua função de maneira otimizada.

Acontece que uma equipe tensionada ao extremo ou largada não produz como deveriam. Supervisionar está relacionado a garantir que as atividades delegadas serão realizadas e que as prioridades não serão esquecidas. Nesse sentido, fica a pergunta: como supervisionar de maneira otimizada?

Para fazer isso, é importante sempre avaliar o nível de competência e expertise do colaborador. Para cada fase de desenvolvimento, uma forma é um nível diferente de energia são investidos.

- Baixa competência:

Essa fase é a que exige maior energia na supervisão e formação do colaborador. Alguns pontos para se ter em mente incluem: direcionar e ensinar o colaborador como fazer, montar o planejamento e agenda de checkpoints, monitorar de cada etapa e dar feedbacks constantes.

- Média competência

Aqui ele está mais familiarizado com as atividades, mas ainda não está plenamente apto a executar sozinho, neste ponto: tire dúvidas sobre a execução da atividade, monte planejamento e agenda de checkpoints junto ao colaborador e feedbacks nos checkpoints.

- Alta competência

A partir deste nível, a energia gasta em supervisão de atividades diminui drasticamente. De toda forma, se atente aos seguintes pontos: apresente a tarefa e o resultado desejado, peça para o colaborador montar e apresentar planejamento e checkpoints menos frequentes e quando achar necessário.

- Expert

Ao lidar com experts, a energia de supervisão é mínima, é onde todo líder deve mirar quando se trata do desenvolvimento do time. Apresentar tarefa e resultado esperado, fazer checkpoints quando achar necessário e dar feedback ao final do processo.

Talvez você já tenha percebido ao ler cada modelo de supervisão e formação do time, mas vale a pena deixar claro: quanto maior a energia de formação, direção e treinamento do time, menor a energia de supervisão.

Portanto, não economize tempo e energia em capacitar seus colaboradores até que se tornem experts em suas funções.

E você? Como vem exercendo a supervisão dos seus times?

Convido você a refletir sobre a melhor forma de supervisão baseado no nível de cada liderado que você possui. Ao fazer isso, você estará otimizando o seu tempo e o dele.

Espero que ao ler até aqui, você tenha tomado posse de insights poderosos para melhorar a sua gestão é assim, aumentar drasticamente a performance dos seus colaboradores.

 

*Valdez Monterazo é associado sênior na Sociedade Brasileira de Coaching, especializado em negócios, liderança e psicologia positiva. Tem cases de sucesso e promove resultados em diversos segmentos de pequenas e médias empresas. Saiba mais em: https://valdezmonterazo.com.br

seta

Dia da Universidade (18/01)

18/01/2022 13:10

Se viajar durante poucos dias para conhecer outro país já traz muitos aprendizados, estudar em um lugar diferente pode trazer ainda mais benefícios. Aprender outro idioma, desenvolver o autoconhecimento, conhecer uma nova cultura, fazer amigos e aprimorar o currículo são algumas das vantagens. O intercâmbio pode ser uma fase de muito aprendizado e amadurecimento para quem faz, como garante a estudante de agronomia, Anna Júlia Lütkemeyer. 

Durante quatro meses, a jovem morou em Wageningen, cidade da Holanda, e fez estágio na Wageningen University and Research na área de agricultura de precisão. Quase formada, a estudante de agronomia estudou sobre solos, biologia e tecnologia no setor de sistemas agrícolas. A mãe de Anna Júlia é holandesa e desde pequena ela tem contato com a cultura de origem da família. Essa convivência diária fez Anna ter ainda mais vontade de conhecer o país. “A cultura holandesa é muito importante para mim, porque são nossas raízes, é uma questão de honrar nossa família e tudo que foi conquistado. É um orgulho ser descendente e um privilégio cultivar a cultura, como também ter o passaporte holandês”, afirma a formanda em agronomia.  

Ela acredita que mudou em vários aspectos após a experiência de fazer intercâmbio. “Sempre fiz parte da comunidade holandesa na minha cidade. Mas depois que fui para a Holanda, enxerguei muito mais a realidade do que a imaginação”, revela Anna Júlia. A estudante também conta que foi uma vivência muito importante. “Aprendi a valorizar mais a minha família, meus amigos, as pessoas, os momentos e as oportunidades. Foi uma chance de crescimento enorme, tanto profissional quanto pessoal”, acrescenta. 

A conselheira da Associação Cultural Brasil-Holanda (ACBH), Janet Bosch, acredita que o contato desde criança com a cultura holandesa é o que instiga jovens como Anna Júlia a quererem ainda mais conhecer o país de origem dos pais e avós. “Os ensinamentos do idioma, a gastronomia e a tradição desde pequenos estimulam muitos jovens a procurarem o intercâmbio. Na Holanda, sempre tem possibilidades. E com isso, os estudantes podem aprender mais sobre nossa cultura viajando para lá”, destaca. 

Para quem tem interesse em fazer intercâmbio, algumas dicas: 

  • Busque informações na universidade ou colégio

Em muitas faculdades, colégios e cursos de idiomas há programas de intercâmbio. Com isso, o estudante que deseja estudar fora do país pode ter a facilidade de conseguir bolsas de estudo ou mais informações com instituições experientes. 

  • Conheça os modelos de intercâmbio

Há várias modalidades de intercâmbio: estudo universitário, colegial, cursos específicos e de idiomas. Cada formato tem um foco diferente. O estudante precisa saber quais os objetivos que têm para escolher o melhor formato de intercâmbio.

  • Levar toda a documentação necessária

Durante o período de preparação para o intercâmbio é essencial revisar toda a documentação que precisa levar. A estudante Anna Júlia Lütkemeyer não sabia que precisava levar a certidão de nascimento original. Com isso, ela não conseguiu abrir conta de banco no país. Anna Júlia orienta que o aluno que se prepara para viajar deve saber o que precisará fazer no país e os documentos que serão exigidos. 

Sobre a ACBH

A Associação Cultural Brasil-Holanda (ACBH) é uma organização formada por holandeses e descendentes de holandeses no Brasil, oriundos de diversas colônias. Visa preservar o patrimônio histórico artístico e cultural holandês e brasileiro para a posteridade. Também quer incentivar, desenvolver e divulgar as várias formas de expressão cultural. Mais informações: https://www.acbh.com.br/

 

   

Imagens

seta

Benefícios da corrida: redução no stresse, fortalece o coração e muito mais!

13/01/2022 19:07

Descubra os benefícios da corrida!

Algumas pessoas podem começar a correr para participar de competições ou olimpíadas, mas muitas também correm apenas por ser um hobby divertido. Para começar a correr é necessário que você tenha autorização de um médico cardiologista e esteja em dia com os seus exames médicos. 

Muitas pessoas costumam começar a correr não só pelo prazer, mas também por todos os benefícios que essa atividade física pode proporcionar. Começar a correr faz com que você queime calorias, alivie o estresse e até mesmo reduzir os níveis de colesterol.

A corrida possui diversos benefícios porque essa atividade física faz com que o metabolismo seja aumentado, e consequentemente ocorre a melhora da circulação sanguínea, previna a osteoporose e fortaleça o coração. Você pode conferir mais sobre como a corrida age no seu corpo nesse artigo!

Quais são os benefícios da corrida?

Assim como outras atividades físicas, quando praticada com certa frequência, a corrida pode trazer muitos benefícios. Alguns desses benefícios que você pode conferir abaixo podem ser exatamente o que você está buscando para levar uma vida mais saudável.

Alívio de estresse

No dia a dia, tendo que lidar com trabalho, estudo, rotina de casa, dentre tantos outros afazeres, é muito comum acumular uma grande quantidade de estresse. Nesses casos, as pessoas podem ter diferentes formas de liberar toda essa pressão, e uma delas é a atividade física. 

Ao se movimentar e gastar calorias o seu cérebro costuma liberar hormônios de bem-estar, como a dopamina e a endorfina. Por isso, você costuma se sentir melhor e é uma ótima forma de começar ou encerrar o seu dia.

Melhor circulação sanguínea

Outro benefício que vale a pena ser citado é uma melhora significativa na circulação sanguínea. Quando você corre, a frequência cardíaca costuma aumentar e isso faz com que a circulação sanguínea seja trabalhada. Assim, o coração passa a levar o sangue para todo o corpo e o do pulmão, novamente ao coração.

A melhora da circulação sanguínea é benéfica e previne a hipertensão, a diabetes e o infarto, por exemplo.

Desperta a criatividade e produtividade

Para muitas pessoas a corrida é uma forma de despertar a criatividade e a produtividade. Isso porque quando você corre é mais fácil pensar com clareza sobre projetos e decisões ou até mesmo criar coisas com facilidade. 

Quando você corre, hormônios de bem-estar são liberados na sua corrente sanguínea e toxinas são eliminadas. Além disso, a corrida estimula a hidratação que faz com que o cérebro funcione melhor, já que cerca de 80% desse órgão é composto por água.

Reduz o risco de diabete

A diabete é uma doença que é caracterizada principalmente pela resistência à insulina. Quando você pratica a corrida, que é uma atividade de alto impacto, as células do seu corpo captam glicose para gerar energia mesmo sem insulina. 

Ao praticar essa atividade com frequência, o seu corpo reduz o risco de desenvolver diabete. É importante ressaltar que para esse benefício é essencial que a atividade seja praticada com certa regularidade.

Fortalece o coração

Como falamos antes, ao praticar corrida, a frequência cardíaca é aumentada e assim o ritmo e batimentos cardíacos aumentam proporcionalmente. E assim como outros músculos o coração precisa ser trabalhado para se fortalecer. Com o aumento da frequência cardíaca o músculo cardíaco é trabalhado, deixando o coração mais forte. 

Por isso, praticar atividades aeróbicas de alto impacto como a corrida regularmente ajuda a fortalecer o coração, melhorando a frequência cardíaca. A corrida é uma ótima aliada para quem deseja prevenir problemas cardíacos.

Previne a osteoporose

A osteoporose é uma doença onde a massa óssea se torna menor do que o desejável e por consequência os ossos podem se tornar quebradiços e frágeis. A principal causa é a deficiência de cálcio ou absorção desse mineral no organismo.

Ao praticar corrida alguns impactos são causados nas células ósseas e assim, essas células são renovadas e absorvem mais cálcio. Por isso, esse é um exercício fundamental na prevenção da osteoporose.

Reduz a gordura corporal

As atividades aeróbicas no geral ajudam a queimar a gordura corporal e consequentemente a reduzir a massa corporal. Isso acontece porque o exercício físico ajuda a queimar calorias, que quando não são gastas são depositadas em forma de gordura no corpo. 

A corrida é uma das atividades aeróbicas que queimam mais calorias e, uma das melhores quando se trata de reduzir a gordura corporal. Uma pessoa com cerca de 80 kg gasta em torno de 1000 calorias durante 1 hora de corrida.

O que precisa para praticar corrida?

Você viu anteriormente alguns dos benefícios de praticar corridas regularmente. Mas, ao começar a praticar essa atividade é preciso estar bem preparado para evitar lesões e conseguir ter uma boa prática. Logo abaixo você pode conferir uma lista com tudo o que você precisa para praticar corrida. Veja agora! 

Tênis para corrida

Todos os praticantes de esporte devem escolher muito bem o seu equipamento para não correr riscos de lesões. No caso da corrida o seu principal equipamento é o tênis, por isso é essencial que você tenha um dos melhores. 

Um bom tênis para corrida deve ser confortável e ter uma sola plana que te permita ter um contato direto com o solo. Outras dicas são não escolher um modelo muito justo, escolher um que você consiga mover os dedos do pé dentro do tênis e sem cadarços a fim de evitar acidentes. Veja também quais são os 10 melhores tênis para corrida de 2022.

Boné ou viseira

Na hora de correr, principalmente em locais que apresentam altas temperaturas, é importante pensar em algo que proteja o seu rosto do sol. Para isso, você pode utilizar um boné ou viseira e claro, nunca esquecer do filtro solar. 

Para pessoas que têm o cabelo curto ou locais mais frios o boné é uma boa opção. Já em locais mais quentes ou para pessoas com muito cabelo o boné pode esquentar muito e ser incômodo, deixando a viseira como a melhor opção.

Pochete

Quando vamos sair de casa nunca podemos sair exatamente sem nada. Nesse caso, uma pochete é o ideal para levar os documentos necessários, dinheiro, cartão e chave de casa ou carro. Hoje em dia existem diversos modelos que podem ser utilizados na diagonal do tronco, na cintura ou até mesmo abaixo do peito.

Você pode escolher uma cor mais neutra como o preto ou apostar em cores mais vibrantes. Também é possível escolher pochete com só um bolso ou com vários. Sempre dá para você inovar e correr com muito estilo. Não deixe de conferir as 10 melhores pochetes para corrida de 2022 e saiba quais são as opções com o melhor custo benefício.

Fones para corrida

Correr enquanto ouve música é uma ótima forma de se distrair dos pensamentos do dia a dia e relaxar. Você pode criar uma playlist mais agitada para extravasar no fim do dia ou uma playlist mais calma para começar o dia com a endorfina emanando pelo seu corpo. 

Hoje em dia existem diversos modelos de fones de ouvido diferentes para você escolher e levar na sua corrida. Você tem a opção dos fones mais simples que se conectam ao seu celular por meio de um fio e levam o fone até os seus ouvidos também por fios. Nesse modelo existem ainda os auriculares e intra-auriculares. 

Você também tem a opção dos fones de ouvido do tipo supra-auriculares ou circumaurais. Em todos eles existe a opção de fio, conexão via bluetooth ou wifi. Não deixe de conferir os 10 melhores fones de ouvido para corrida de 2022 e escolha o que se adapta melhor ao seu treino.

Garrafa para hidratação

Em toda a atividade física é importante se manter hidratado e para isso é essencial levar uma garrafa de água ou isotônico. Muitas pessoas preferem deixar para comprar água ao final do treino, mas é sempre melhor não arriscar e ter sempre uma garrafa com você.

Afinal, ao ficar desidratado o seu cérebro começa a não funcionar tão bem e pode ocasionar desmaios e acidentes.

Na hora de escolher a sua garrafa de água, opte por modelos leves que possam ser carregados facilmente e que tenham uma boa capacidade. As garrafas que possuem suporte que facilitam de carregar também são boas opções. Caso você more em uma cidade muito quente, cogite comprar uma garrafa térmica para manter sua água sempre fresca.

Comece a correr e aproveite os benefícios!

Para começar a praticar uma nova atividade física é preciso seguir todas as recomendações para que o resultado seja o desejado. A corrida é uma atividade aeróbica de alto impacto que possui muitos benefícios. Alguns dos seus principais benefícios são a redução de gordura corporal, aumenta a criatividade e produtividade e fortalece o coração.

Ao se preparar para começar a correr é necessário possuir um bom tênis para corrida, boné ou viseira, pochete, fones para corrida se desejar e garrafa para hidratação. Na hora de escolher os seus, você pode sempre consultar esse artigo para te ajudar nas melhores escolhas. 

Muitas pessoas começam a correr pensando em todos os benefícios, mas é só uma questão de tempo para se apaixonar por esse esporte. 

seta

Primeira Edição © 2011